(...)O homem deve render homenagem à natureza e adaptar-se a ela, não deve nunca tentar impôr-lhe presunçosamente sua própria vontade. Deve conservar a inocência, a sagrada imacubilidade e a simplicidade do estado primitivo, tanto na paisagem como em si próprio, deve transformar-se e permanecer natural em meio da beatificante natureza.""

maria antonieta, estefan zweig pag 103 à 104

may 6 2018 ∞
apr 13 2019 +