user image

i want neither books nor men; they make me suffer. can one of them talk to me like the night – the summer night? like the stars or the caressing wind?

natalia follows:
list icon
  • "agora eu me lembrava de que o mundo real era vasto e que muitas esperanças e medos, sensações e emoções, aguardavam aqueles que tivessem a coragem de sair por ele afora buscando conhecer a vida de verdade por entre seus perigos."
  • ''sim, mrs.reed, devo à senhora algumas crises de sofrimento mental. mas devo perdoá-la, pois a senhora não sabia o que estava fazendo. enquanto arrancava as fibras do meu coração, achava que estava apenas extirpando meus maus instintos.''
  • "eu não sou um pássaro e nenhuma rede me enlaça. eu sou um ser humano livre com vontade independente."
  • "os preconceitos, todos sabem, são mais difíceis de erradicar do coração cujo solo nunca foi revolvido nem fecundado pela educação: preconceitos crescem ali firmes como erva daninha entre pedras."
  • "era um dia completamente cinzento, e um céu opaco cobria tudo. flocos de neve caíam, a intervalos, e se acumulavam sobre o caminho endurecido e as pastagens cinzentas. e ali fiquei, uma criança infeliz, murmurando comigo mesma “que devo fazer? que devo fazer?”
  • "alguns dizem que existe alegria em recordar as experiências dolorosas do passado. mas até agora mal pude suportar reviver os tempos a que me refiro. a degradação moral misturada ao sofrimento físico constitui uma recordação por demais dilacerante para ser voluntariamente evocada. não culpo as pessoas que me rejeitaram. sentia que isso era o que devia esperar e que era inevitável."
  • "mas eu continuava viva, e a vida, com suas necessidades e dores e responsabilidades, me chamava. o fardo precisava ser carregado, as necessidades satisfeitas, o sofrimento enfrentado, as responsabilidades assumidas.”
  • "não é razoável condenar as mulheres ou rir delas, se elas querem mais do que os costumes definiram como sendo o necessário para seu sexo."
  • "neste mundo, os seres humanos nunca conseguem a felicidade completa."
  • "leitor, será que conhece, como eu, o quanto de terror e gelo as pessoas insensíveis colocam nas suas perguntas? sabe o quanto de avalanche existe na sua cólera? ou quanto o seu desprazer se assemelha ao gelo congelado sobre o mar, quando se estilhaça?"
oct 30 2018 ∞
feb 22 2020 +