• aprendi que a saudade dói. dói fisicamente, você consegue sentir no peito e no estômago o quanto ela dói. por isso, enquanto eu tenho quem amo do meu lado preciso mostrar o quão importantes eles são para mim, não economizar nos "eu te amo", abraços e pequenos gestos cotidianos que mostram que eu aprecio estar com cada um deles.
  • apesar da insegurança ser algo muito difícil de se livrar eu aprendi que valho a pena. eu consigo ser o que eu quiser ser, tenho motivação e capacidade para isso. eu também sou interessante e tenho conhecimento em um monte de coisas legais. e também sou bonita do jeitinho que sou, sendo uma grande fofa.
  • crescer é difícil demais mas é pior ainda ficar parado onde está. crescer implica em mudanças e mudar nunca é fácil, sair da sua zona de conforto e ir atrás de um novo sonho pode parecer aterrorizante, mas ao mesmo tempo é animador saber que existe um mundão de coisas para se ver.
  • a gente não manda no coração e essa é uma verdade absoluta, ninguém pode contestar ou refutar essa ideia.
  • já dizia minha mãe: "cabeça vazia, oficina do diabo". pensar demais sempre me engessou muito e principalmente, pensar 'duas vezes' antes de fazer algo. agir por instinto ou impulsividade também é bom. quanto mais eu ocupo meu tempo, seja com estudos, passeios ou encontro com amigos, mas eu me sinto bem e não tenho tempo de ficar fritando minha cabeça com pensamentos ruins. além disso, ficar pensando nas possibilidades e nos "e se..." não me levam a lugar nenhum. como um cara muito incrível me disse: "a cada escolha feita a gente tem que viver com o saudosismo das outras 99 não escolhidas".
  • as redes sociais me influenciam muito. a internet é um mundo incrível mas passar um tempo fora dela faz um bem danado, se conectar com as pessoas e com os espaços ao redor é extremamente gratificante. além disso, passando um tempo longe do instagram e twitter pude perceber como a natureza me faz bem.
  • se afastar de política e movimentos sociais as vezes também faz bem. isso não significa abandonar seus ideais ou não falar sobre isso, mas política sempre me afetou muito e por me manter afastada disso por um tempo fez um bem danado pra minha saúde mental.
  • não existe "guilty pleasure", existe todo o preconceito que a gente cria na nossa própria cabeça com coisas que não são bem vistas ou aceitas por certos grupos em que queremos nos encaixar e por isso desprezamos essas coisas.
  • dias ruins passam. pode parecer que é o fim do mundo e que a dor é tão grande que nunca vai passar, mas tudo bem, uma hora ela passa e você percebe que tudo vira aprendizado. se você não morreu então isso vira experiência de vida.
  • o tempo cura. a cada dia, semana, mês que passa eu percebi que a dor e a saudade vai se tornando mais tolerável e é isso, você vai viver de novo.
  • existem pessoas que não estão destinadas a ficar e tá tudo bem. tem gente que entra na tua vida pra te ensinar algo e depois ela precisa partir, é doloroso mas pelo menos você teve a oportunidade de conhecer alguém tão incrível assim que pode te mostrar coisas tão preciosas.
  • destino, acaso, algum deus, universo, etc. não sei o nome, mas, além de nos mesmos, existe algo que não podemos ver ou tocar que escreve nosso futuro. é impossível eu ter conhecido as pessoas que conheci de um jeito aleatório. tinha que estar escrito, eu tinha que viver o que vivi para poder seguir em frente.
  • faculdade não é o único caminho pra se seguir. passar anos estudando algo só porque dizem ser o certo a se fazer não te leva a lugar nenhum e existem mais mil caminhos para se seguir que não tem nada a ver com o meio acadêmico.
  • certas coisas você só entende depois que passa por elas e certos sentimentos abrem as portas para você entender algumas situações pelas quais as pessoas passam.
  • esse ano aprendi quem eu sou ou pelo menos quem eu quero ser, não importa. aprendi a me julgar menos e a mostrar meu lado mais vulnerável porque eu sei que esse é meu lado mais "eu". eu sou extremamente sentimental, chorona e me apego fácil, isso não significa fragilidade, significa que sou forte o suficiente para me mostrar algo tão delicado para as pessoas. uma grande libriana com lua em peixes mesmo.
  • tudo bem gostar de muitas coisas, ter muitos lados e muitos gostos. as pessoas mais interessantes são aquelas compostas de várias camadas, aquelas que você sempre fica encantada quando descobre mais um fato aleatório ou gosto peculiar ou experiência estranha.
  • cada um tem seu tempo. tudo bem se demorar pra você entrar na faculdade, conseguir um emprego legal ou só conseguir decidir que caminho você quer seguir porque você tem uma vida toda pra isso, a vida não para aos 30.
  • estar sozinha não significa estar solitária. apreciar minha companhia foi uma das melhores coisas que aprendi esse ano. eu dei tantas voltas só eu e uma música de fundo, andei por ai fazendo comentários pra mim mesma e rindo sozinha. eu amo estar com meus amigos mas eu também amo minha companhia.
  • o mundo é lindo e tá cheio de gente boa. a vida não se resume a minha cidadezinha do interior ou a são paulo, tem muita coisa pra ver, ouvir, experimentar e vivenciar. a esperança de conhecer mais pessoas legais e ver mais lugares incríveis me motiva. eu amei 2019, amei todo mundo que conheci e amei poder aprender tantas coisas novas. foi um ano bem doloroso, a saudade foi minha maior inimiga e eu com certeza daria tudo pra ter uma máquina do tempo e voltar em alguns momentos, mas não posso fazer isso. aceitar esse fato também é um aprendizado. quem sabe um dia eu não reviva tudo isso de novo, dessa vez mais madura e crescida. não sei, sonhar faz parte de mim.

2019, obrigado por tudo.

nov 26 2019 ∞
jan 12 2020 +
user picture isabela: eii eu adorei sua lista, posso fazer uma igual? dec 20 2019
user picture malu: mas é claro que sim :) dec 23 2019